Iscas Naturais

Iscas naturais para água doce:

Apesar de estar em pleno crescimento à pesca com iscas artificiais, em face da grande divulgação e a sua real praticidade, a pesca com iscas naturais continua tendo grande aceitação, tanto na água doce como na salgada.

A isca é um dos segredos de todo pescador, estabelecido pelas experiências adquirida em cada pescaria, a escolha da isca varia muito em função do peixe que iremos pescar.

Lembre-se que o peixe é um animal irracional, segue instintivamente padrões de comportamento próprios de cada espécie, mas isto não é uma constante.

Temos diversas iscas utilizadas para pesqueiros, aqui iremos relatar algumas delas:

  • Files de peixe, lambaris, tilapinhas, manjubinhas, sardinhas, cabeças de peixes, guelras, tuviras.
  • Minhoca, minhocuçu, bichinho de laranja.
  • Fígado de galinha, fígado de boi, coração de galinha, miudezas em geral.
  • Salsicha uma das mais utilizadas em pesqueiros, mortadela, salame, goiabada, presunto, queijo prato, queijo mussarela etc.
  • Frutos, João bolão, acerola, milho, goiaba, banana, mandioca, jabuticaba, amora, ameixa, coquinho, esses iscas tem bastante eficiência quando estamos pescando em lagos próximos as árvores que contenham os frutos citados, pois os mesmos caem na água servindo de alimentos para os peixes.
  • Rã, caranguejo, lesma, caramujo, Pão, Pão de Queijo etc.

Essas são algumas das diversas iscas que podem ser utilizadas, podendo pegar diversos peixes, segue abaixo as iscas que devem-se utilizar para determinadas espécies:

Tilapias e Cara: pega-se com minhoca, minhocoçu, bichinho de laranja, queijo, milho e massas em geral entre outras.

Carpas: Massas são as mais indicadas para essa especial, variando gosto e aromas.

Pacu, tambaqui e tambacu: Lambaris, tilapinhas, minhocoçu, salsicha, goiabada, queijo, frutos em geral, pão-de-queijo, pão entres outras.

Trairas: Lambaris, tilapinhas, minhocoçu, miudezas em geral.

Matrinxã: Lambaris, tilapinhas, minhoca, minhocuçu, salsicha.

Pintado e Cachara: A isca mais utilizada é a salsicha, mas também pode-se pegar com minhocoçu, tilapinha, lambari, tuviras.

Pirarara: Essa come de tudo, pode-se pesca-la com files de peixe, lambaris, tilapinhas, manjubinhas, sardinhas, cabeças de peixes, guelras, tuviras, salsicha, minhoca, minhocuçu, fígado de galinha, fígado de boi, coração de galinha, miudezas em geral, queijo.

Essas são algumas das espécies que encontramos em pesqueiros que podem ser capturadas com as iscas indicadas.

Em pescarias de rios quando utilizamos as iscas naturais, devemos conhecer as preferências dos peixes locais para conseguirmos maior sucesso na pescaria.

Geralmente as iscas se encontram a disposição, no próprio local da pescaria, sendo necessário apenas coletá-las antes da pescaria.

A utilização de mais de um tipo de isca, também pode ser uma alternativa produtiva.

Algumas iscas são mais utilizadas, entre elas, podemos destacar:

Tuvira ou piramboia: É de fácil manejo e bastante resistente, pode ser fisgada tanto nas costas como no rabo, é utilizada viva.

Lambari: Peixe de pequeno porte, comumente encontrado em lagoas, pode ser fisgado pelas costas para que continue nadando, atraindo assim os peixes com maior eficiência.

Pitu: Camarão de água doce, podendo ser utilizado vivo ou morto alguns, peixes como o Pacu, são apreciadores de algumas frutas.

Minhocas e minhocoçu: Talvez a isca mais conhecida para a pesca em água doce, pode ser encontrada com muita facilidade e possui grande eficiência na captura de diferentes peixes.

Para as espécie de peixes predadores pode-se utilizar pequenas espécie de outros peixes como piranha, piau, trairinha entres outros, para serem utilizados como iscas, pegando peixes de grande porte.

Iscas naturais para água salgada:

Os camarões são as principais iscas naturais servindo para todas as espécies de peixes de água salgada, Também existe o camarão de água doce que é conhecido como pitu, que por sua vez é igual- mente apreciado por uma grande quantidade de espécies de peixes de água doce, podem ser utilizados tanto vivos como mortos.

Os camarões vivos podem ser eficientes em locais próximos à estruturas submersas com pouca profundidade (inferior a 15 metros) e próximos a estruturas como galhadas, píer, canais, costões, etc.

Já o camarão morto pode ser utilizado em todos os tipos de ambiente, uma informação muito importante é a utilização de exemplares frescos e de espécies do ambiente de pesca, evitando levar camarões de outras localidades. Se você for congelar os camarões para uma pescaria em locais distantes (embarcado) ou para pescar em alguns dias, retire a cabeça e mantenha as cascas, durante a pescaria, principalmente nos dias quentes, descongele os camarões por porções, ampliando o tempo de qualidade da isca.

Além do camarão podemos destacar outras iscas que podem ser utilizadas:

Lula: Muito utilizada nas pescas de fundo por ser uma isca mais firme. Boa para pesca de Garoupas e Badejos entre outros.

Corrupto: Encontrado nas praias, pode ser coletado com antecedência. Altamente eficaz para a pesca de praia.

Sardinha: Isca muito versátil, dependendo do peixe que se pretende capturar a sardinha poderá ser utilizada de diferentes formas.

Uma dica é salgar a sardinha uma semana antes da pescaria, fazendo com que ela fique mais dura, facilitando sua fixação no anzol. Pode ser utilizada em pedaços ou inteira.

Tatuí: Facilmente encontrado na areia, é uma boa isca para a pesca de praia.

Baratinhas: Boa para pescar em costões, local onde vivem.

Sarnambi: Tipo de concha encontrada na areia da praia, abre-se a concha para a retirada do molusco que é colocado no anzol.

Fonte: Brasil Pescarias

About Pescador