Carretilhas elétricas

Carretilha Elétrica

Carretilha Elétrica

Ultimamente elas ganharam um grande espaço nas pescarias em Alto Mar, principalmente no uso de iscas artificiais como os audaciosos Jumping Jigs, que chegaram ao Brasil em meados do ano 2000.

Quero mostrar para o leitor, algumas dicas simples sobre carretilhas elétricas, que podem fazer muita diferença no seu dia de pesca onde pude observar e aprender no decorrer destes anos de pescaria.

De início vamos ver como mantê-las bem cuidadas para que o pescador possa usufruir o máximo possível deste item que não é barato e que no Japão, onde são produzidas, são consideradas descartáveis.

Evite lavar com água em abundância, apenas retire a água salgada superficialmente e evite molhar a parte onde fica o freio ou fricção, pois quando molhado perde e muito sua eficiência na hora mais importante da pescaria: na briga com peixe. O freio molhado ou úmido faz com que a linha saia com trancos e isso, acredite, pode fazer você perder seu peixe. Após lavá-la, seque-a com um pano e lubrifique, com micro óleo, um pequeno orifício ao lado da manivela, que seria o rolamento do carretel, mantendo assim o melhor desempenho e durabilidade da carretilha.

Outra dica legal seria tirar uma parte da linha utilizada e lavar com água doce, principalmente se você não for pescar dentro de alguns meses, pois o sal resseca a linha e faz com que ela estoure com facilidade.

Durante uma pescaria com Jumping Jigs observo que a grande maioria dos pescadores trabalham as iscas na velocidade máxima – costumo dizer que não existe maneira errada de trabalhá-las, pois já vi muitas maneiras, às vezes até bizarras, acabar pegando o peixe. Procuro indicar aos meus clientes que variem a velocidade durante o dia, mas também pude observar ao longo dessas pescarias que existem pescadores que tem o hábito de só trabalhar suas iscas com velocidades bem lentas e costumam se dar muito bem, por isso, se você criar o hábito de estar sempre variando não só terá uma chance maior de fi sgar seu peixe como prolongar a vida útil de sua elétrica.

Com o tempo, é normal as elétricas perderem seu rendimento de velocidade, elas possuem um odômetro que registra a quantidade linha recolhida e onde é possível acompanhar a vida útil de sua elétrica. Quando novas, recolhem em média 180 metros por minuto com iscas em torno de 300 gramas, tanto as Daiwa como as Shimano, as diferenças são poucas entre ambas.

Outra dica que vale a pena é prender o cabo de energia junto à vara, para evitar que o conector fique com mau contato e prejudicá-lo na hora do recolhimento (isso acontece com freqüência). Uma solução simples é utilizar uma cinta com velcro para mantê-los juntos e evitar este problema no seu dia de pesca.

Vamos falar da hora mais emocionante da pescaria: a hora da briga com o peixe. Como exemplo, vamos tomar como base a Carretilha Daiwa 500 MegaTwin, uma das mais utilizadas nesse esporte. Alguns pescadores costumam recolher pela manivela quando estão na briga com o peixe. Com a minha experiência, posso afirmar que o melhor e mais eficiente seria mesmo recolher com a própria elétrica, que através do botão eletrônico você pode acelerar ou diminuir a velocidade do recolhimento e também através do botão laranja (muito eficiente que fica localizado do lado esquerdo inferior) você pode programar a velocidade que quiser, dando paradas repentinas (alguns modelos de carretilhas elétricas não possuem este item, verifique antes da compra).

Antes de comprar sua carretilha elétrica, procure se informar bem com pessoas que já possuem uma boa experiência com elas e principalmente onde pretende pescar para saber os modelos de iscas mais utilizadas e a linhas recomendadas. Procure lojas especializadas neste tipo de pescaria.

About Pescador